BEM-ESTAR

SINTONIA COM A MARA – O mundo envelhece. Precisamos rejuvenescer conceitos.

SINTONIA COM A MARA – O mundo envelhece. Precisamos rejuvenescer conceitos.
Pixabay

A humanidade está envelhecendo. O número de pessoas com 60 anos, ou mais, é crescente no mundo todo. No Brasil, o estigma sobre o envelhecimento, ainda, existe e reflete uma noção equivocada, associada a incapacidades física e cognitiva, improdutividade, doenças, ausência de papéis sociais e interesse sexual, solidão e dependência.

O conceito de velhice é um constructo social, temporal e contraditório. Nas sociedades ocidentais, a supervalorização do novo, produtivo e independente, em detrimento do velho, ultrapassado e fora de moda, é parte das estratégias de consumo. A mesma cultura que preconiza a longevidade e tecnologias para prevenir doenças, nega, ao idoso, seu real valor. O paradoxo é viver mais, sem envelhecer ou parecer velho.

Os estereótipos da velhice são piores do que a realidade. O preconceito é reforçado pelos próprios idosos que não se reconhecem ou se admitem velhos. Envelhecer é uma experiência exclusiva. O modo de vida implica, positiva ou negativamente, na velhice. O uso de expressões como “melhor idade” e “terceira idade”, mascara o preconceito e nega a realidade. Envelhecer é aceitar-se e orgulhar-se dos muitos anos vividos, das conquistas e realizações.

A velhice pode e deve ser agradável e desejável. A maioria dos idosos é saudável e independente. Doenças crônicas, na velhice, iniciam e se desenvolvem bem antes dessa fase. Alterações hormonais e mudanças no organismo são comuns, mas não significam perda do interesse ou impossibilidade de uma vida sexual ativa e gratificante. Problemas de memória podem ser evitados com práticas contínuas de leitura, atividades intelectuais e novos aprendizados. Os vínculos de amizade são fundamentais na velhice. Um bom planejamento financeiro, na juventude, representa uma aposentadoria confortável. A saúde e o bem-estar, na velhice, dependem do modo como se vive e se administra as fases anteriores.

Envelhecer é um processo complexo de realidades próprias, não generalizáveis. Envolve aspectos biológicos, cronológicos, psicológicos, sociais e culturais. Não significa limitação ou incapacidade. Doença não é normal. Pessoas idosas saudáveis são funcionais e produtivas. O declínio cognitivo não se deve à velhice, mas, ao desuso, a doenças como depressão, abuso de álcool, medicamentos e outras drogas, à solidão e ao isolamento. Envelhecer contempla os anos vividos, a história pessoal, as condições físicas e psicossociais. Marcadores cronológicos e biológicos são relativos e subjetivos. Não há perdas na velhice, mas transformações, aquisição de saberes, evolução.

É preciso reformular a noção de velhice associada à decrepitude, para uma fase de novas conquistas, desenvolvimento cognitivo, produção social e cultural. A sociedade deve respeito e valorização ao idoso. Experiências e conhecimentos acumulados podem beneficiar aos próprios indivíduos e à sociedade. Não importa a idade, mas o que o indivíduo faz com sua existência e o como a sociedade o trata. A velhice deve ser reconhecida pelos ganhos e transformações.


Mara Lúcia Madureira

Psicóloga


+ Sintonia

O coração de George Floyd era igual ao coração de seu assassino

Quando nascemos, nosso coração apresenta uma quantidade imensa de batimentos cardíacos. Durante ausculta do tórax de um recém-nascido, nos deparamos com uma frequência cardía...

Leia +

A circulação sanguínea em tempos de Covid

Em tempos de pandemia, um assunto que tem despontado e amedrontado todas as pessoas é o índice elevado de tromboses. E aqui já cabe uma primeira observação - as tromb...

Leia +

Por que o coração é mais frágil após os 60 anos?

O coração humano pode apresentar alterações de estrutura, forma e função após a sexta década de vida. Os fatores genéticos ou o histórico familiar, num primeiro...

Leia +

NOVO ARTIGO: Saúde cardiovascular e inteligência emocional em tempos de pandemia

Temos vivenciado a era da cultura disruptiva, que preconiza a inovação, criatividade e maximização de recursos em prol de maior produtividade e eficiência dos processos. Nada dis...

Leia +

NOVO ARTIGO - O ritmo cardíaco e os marcapassos

Antes da discussão acerca dos dispositivos eletromagnéticos denominados marcapassos cardíacos artificiais, é mister salientar que o coração humano é dotado de um sistema e...

Leia +